PORTAL
Vampiros existem?

VOCÊ ACREDITA MESMO? DE ONDE VÊM OS VAMPIROS?

O que para alguns pode ser uma história de horror inventada para entreter, para outros foi um verdadeiro pesadelo.

23/03/2020 12h52Atualizado há 5 dias
Por: Mhario Lincoln
Fonte: Culturizando.com e bbc.com
10
Alto, pálido, com dentes afiados e pele pálida. Monstros sugadores de sangue.
Alto, pálido, com dentes afiados e pele pálida. Monstros sugadores de sangue.

DE ONDE VÊM OS VAMPIROS?

(Original: Culturizando.com e bbc.com)

Vampirismo e histórias de vampiros sempre foram envoltas em grande mistério. Uma figura fictícia ou real?

Alto, pálido, com dentes afiados e pele pálida, o estereótipo de vampiros mudou ao longo dos anos, mas eles mantêm a mesma característica: são considerados monstros sugadores de sangue. O que para alguns pode ser uma história de horror inventada para entreter, para outros foi um verdadeiro pesadelo.

 

De onde vem a palavra vampiro?

A palavra "vampiro" apareceu pela primeira vez em inglês em 1732 e foi trazida de relatos confusos de um incidente à beira do império dos Habsburgos no leste da Europa.

Em Medreyga, uma cidade rural da Hungria, os camponeses haviam se agitado ao exigir que um dos vizinhos, que havia sido enterrado meses atrás, fosse exumado.

 

Cemitério

Os moradores alegaram que o cadáver era uma ameaça à cidade e causou a perda de gado nos campos durante a noite.

A palavra que eles usaram para essa criatura ambivalente, presa entre a vida e a morte, era " vampiro ", que após uma série de traduções significa "estar voando", "beber ou sugar" e "lobo". Por outro lado, também se refere a um certo tipo de morcego sugador de sangue.

 

Quando abriram o caixão, supostamente encontraram um corpo em perfeitas condições e até sangue fresco saindo da boca.

Os camponeses pregaram o corpo no túmulo com uma estaca no coração e queimaram os restos, só para ter certeza.

 

Morcego

Alguns anos depois, um monge beneditino compilou eventos semelhantes em um livro intitulado "Sobre os vampiros da Hungria, Boêmia, Morávia e Silésia".

Foi a partir dessas histórias marginais que o mito dos vampiros surgiu, apesar das tentativas da igreja de erradicar as crenças pagãs.

 

Mas ... isso realmente aconteceu?

As histórias de vampiros se originaram da interpretação errônea de algumas doenças, como raiva e pelagra (uma doença que muda a cor da pele, produzindo manchas devido à má alimentação).

A falta de conhecimento sobre o processo de decomposição do corpo também foi um fator determinante na disseminação de histórias de vampiros. Os gases produzidos pelo corpo em decomposição fazem com que os corpos inchem e, em muitos casos, o sangue escorre pela boca, dando a aparência de que os recém-falecidos haviam acabado de "comer".

 

Vampiro

Na época, eles descreviam os vampiros como corpos inchados, com dentes afiados e unhas compridas. Essa crença de que os mortos poderiam se transformar em monstros vampíricos iniciou uma série de rituais funerários bastante peculiares.

 

Enterros macabros para evitar vampiros

Parte das tentativas desesperadas de impedir a propagação dos supostos vampiros era começar a alterar as sepulturas do falecido. Eles os enterraram cobertos de alho e sementes de papoula. Eles também enfiaram espadas, facas e paus por todo o corpo. Nos casos mais extremos, eles foram queimados e mutilados.

 

Um fenômeno europeu

Os mitos dos vampiros permaneceram na Escandinávia como um problema local até o século 18, quando a Sérvia estava sob duas grandes potências: A Monarquia dos Habsburgos e o Império Otomano.

 

Rua desolada

Os oficiais austríacos logo perceberam seus estranhos costumes de enterrar seus mortos e começaram a documentar o que viram. Ele rapidamente se tornou um boom da mídia.

A histeria sobre os vampiros foi tão intensa que, em 1755, a Imperatriz da Áustria ordenou uma investigação completa sobre o assunto e publicou uma declaração oficial que refutava cientificamente os rumores de vampiros.

 

Vampiros entre páginas de livros

O pânico na Áustria diminuiu, mas as notícias dos vampiros já haviam se espalhado por toda a Europa. Logo, começaram a aparecer obras literárias sobre o assunto, como "Carmilla ", de Joseph Sheridan Le Fanu, alimentando gradualmente o mito.

 

Vampiro aristocrático

O vampiro aristocrático sedutor e corrupto, que também era muito mais poderoso, apareceu pela primeira vez em 1819 em um conto de William Polidor, nomeado "O Vampiro"

Lorde Ruthven era o nome dele: um animal lascivo que caçava mulheres jovens e era particularmente aterrorizante porque ele operava nos círculos exclusivos da alta sociedade.

 

Aparência de Drácula

Em 1897, Drácula apareceu pela primeira vez , embora alguns relacionem o personagem principal à figura do Conde III Drácula, a única coisa que eles compartilham é o nome, eles não estão relacionados de forma alguma.

Embora aclamado pela crítica, Drácula não foi um sucesso instantâneo e não entrou diretamente na cultura popular. Foi o filme de 1931, com a magnífica atuação de Bela Lugosi, a principal responsável pelo fenômeno e que chegou, relativamente intacto, até hoje.

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários