PORTAL
PAULO CUNHA

A influência da Literatura no Homem. Onde isso pode ir?

a literatura transcende o papel impresso e a própria escrita. Num mundo de linguagens, a literatura está no ar – está no cotidiano e na vida do ser humano.

11/02/2019 10h14Atualizado há 4 semanas
Por: Mhario Lincoln
Fonte: ML
29
Felipe Neto saudado pela torcida do Botafogo no Nilton Santos — Foto: Vitor Silva
Felipe Neto saudado pela torcida do Botafogo no Nilton Santos — Foto: Vitor Silva

A INFLUÊNCIA DA LITERATURA NA VIDA DO HOMEM

 

Segundo René Descartes, existir e pensar estão profundamente conectados – “Penso, logo existo”.

É dito que cada ser humano é um universo em si mesmo; a literatura é, também, um universo esplendoroso; portanto, a conexão destes universos – ser humano e literatura – além de ampliar a visão do ser humano em relação a tudo na vida (e em relação a própria vida), multiplica os horizontes (formas de enxergar a existência).

Ler significa olhar com os olhos de outros; ou seja, com os olhos dos escritores e escritoras – “Um exercício de ver com Outros Olhares”. Quantos personagens históricos, quantos seres mitológicos, quantos lugares visitados na imaginação gerada pela leitura, quantas cenas “vivas” diante dos olhos atentos ao enredo, quantas acelerações cardíacas, emoções a flor da pele, choros, risos, raivas, brigas, torcidas... Sim, a literatura nos transporta para mundos além de nós – mundos reais e mundos mágicos.

A realidade e a fantasia andam juntas na complexa, misteriosa e fantástica vida humana.

E o conhecimento, a informação, a contemplação, a espiritualidade – “As Minhas Palavras São Espírito e Vida”, disse o Mestre dos mestres, a filosofia, a poesia.. Tudo “isso” forma e transforma o ser humano em sua integralidade.

Literatura é mais que livros, mais que mera ferramenta cultural ou de informação... Literatura é o Poder de Expressar Formas de Viver – sim, ler é aumentar a capacidade e a potencialidade em existir e lidar com a vida.

Literatura não apenas informa, mas forma gentes e a sociedade.

Livros tanto pacificaram povos quanto provocaram revoluções e guerras.

Ícones do desenvolvimento e transformação histórico-social-científico foram imortalizados nas biografias e autobiografias; personagens infantis acompanham as jornadas de seres que se tornaram adultos; e, talvez, dois dos mais emblemáticos destes personagens sejam “O Pequeno Príncipe”, de Antoine de Saint-Exupéry e “O Peregrino”, de John Bunnyan.

A linguagem agrega, aos gestos e figuras, a escrita e, assim, nasce a literatura dentro do processo de desenvolvimento do homem (humanidade).

Aprendemos e crescemos com e através da literatura.

Como conheceríamos a Fantástica Fábrica de Chocolate, ou viajaríamos ao Centro da Terra, ou viveríamos as Aventuras de Gülliver, não fosse a literatura?

Se fôssemos falar das diversas ciências teríamos que discorrer páginas e páginas de literatura para exprimirmos o processo evolutivo científico.

Sim, leio, portanto, existo!

E, nesse caso, a literatura transcende o papel impresso e a própria escrita. Num mundo de linguagens, a literatura está no ar – está no cotidiano e na vida do ser humano.

 

Por: Paulo R P Cunha

Poeta e Teólogo Mineiro

Membro da Academia Poética Brasileira

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários