Quinta, 13 de Agosto de 2020
Dúvidas pelo seguinte e-mail
Cidades HOMENAGEM

CARTA DE AGRADECIMENTO DIRIGIDA AO PREFEITO DA CIDADE DE BREJO-MA, JOSÉ FARIAS

SÉRIE: HOMENS ILUSTRES DO BRASIL

14/07/2020 18h07
349
Por: Mhario Lincoln Fonte: ML
SÉRIE: HOMENS ILUSTRES DO BRASIL
SÉRIE: HOMENS ILUSTRES DO BRASIL

SÉRIE: HOMENS ILUSTRES DO BRASIL

Enviado pela dra. Maria Zélia Leite Oliveira

CARTA DE AGRADECIMENTO DIRIGIDA AO PREFEITO DA CIDADE DE BREJO-MA, JOSÉ FARIAS

SENHOR PREFEITO,

 

                           Vimos por este meio agradecer a iniciativa tomada por Vossa Excelência de promover a reforma geral, ampliação e reequipamento do Grupo Escolar que leva o nome do Dr. Orlando Leite, nosso pai.  Orlando José da Silveira Leite nasceu em 1913, no Município de Brejo/MA, onde passou sua infância e parte da adolescência, adquirindo amor incondicional pela cidade, sua história, seu folclore, seus costumes e suas belezas naturais. Aos catorze anos mudou-se com seus pais e seus nove irmãos para São Luís, e logo conseguiu emprego na Mercearia Neves. Quando lhe sobrava tempo, no entanto, estudava, pois mesmo jovem compreendeu ser a educação sua única saída. Ao concluir o curso colegial no Liceu Maranhense, foi escolhido orador da turma, proferindo discurso que impressionou o então Prefeito de São Luís, Dr. Sabóia Ribeiro, que o convidou para ocupar o cargo de Inspetor da Educação do Município.

                               Assim começou sua brilhante vida profissional. Em função do trabalho primoroso desenvolvido na Prefeitura de São Luís, Orlando Leite assumiu a Chefia de Gabinete do Prefeito Pedro Neiva de Santana. Em 1945, após fazer o exame de seleção, ingressou na Faculdade de Direito, bacharelando-se em 1949. A partir daí, ocupou também o cargo de Diretor de Debates da Assembleia Legislativa, e à noite trabalhava como redator e jornalista do Jornal Pacotilha. No período de 1951 a 1954, foi Chefe de Gabinete do Governador Eugênio Barros, tendo sido por este nomeado, antes do final de seu governo, Procurador junto ao Tribunal de Contas do Estado, em 1954. Em seguida, elegeu-se Deputado Estadual, para a legislatura de 1954/1958. Guindado ao mandato parlamentar, deixou a marca indelével de seu talento oratório, pelos fortes debates travados naquela Casa. Em 1972, foi nomeado Procurador Geral de Justiça pelo Governador Pedro Neiva de Santana, que também o nomeou para integrar o Conselho Estadual de Educação, onde permaneceu até 1987. 

                               No entanto, Orlando Leite foi, acima de tudo, um Professor. Desde o ano de 1957, quando passou a exercer interinamente o cargo de Professor Catedrático da Faculdade de Direito de São Luís, lecionando Teoria Geral do Estado, desenvolveu amor reverencial pelo mister. Em 1962, submeteu-se a concurso público para a mesma Faculdade, defendendo a tese “A Crise do Ocidente Contemporâneo”, obra atemporal e até hoje considerada atualíssima, pela profundidade do tema abordado e das soluções propostas, a qual tivemos a honra de publicar no livro “A Saga de Um Lutador: do Parnaíba ao Pericumã”,  sobre a vida de nosso pai. 

Imortalizou-se, assim, como Professor da Cadeira de Teoria Geral do Estado em face de suas aulas magistrais, até hoje lembradas por seus ex-alunos. Quantos grandes homens públicos, profissionais de destaque no meio jurídico local e nacional, fazem questão de narrar-me, com enorme carinho, as lições aprendidas em sala de aula com o mestre Orlando Leite, que extrapolavam o âmbito da ciência jurídica. Destaco, por oportuno, as palavras do ilustre Promotor de Justiça Dr. Antonio Carlos Pereira Lobato, em sua saudação pelos 70 (setenta) anos do Prof. Orlando Leite, também publicada no livro “A Saga de Um Lutador”: “Sim, Orlando, aqui não sei a qual das grandiosas personalidades saudamos: se ao Professor Orlando, velho Catão a desbravar as mentes da juventude com o fulgor da inteligência, a profundidade da cultura e a perfeita manipulação do vernáculo, no desprendimento do pedagogo; (...) Sim, é a este Orlando que saúdo. Saúdo o contador de casos, o causeur, o perfeito palestrador, o alegre cronista do Maranhão nas suas dezenas de casos que nos trazem os intricados meandros da política e das coisas do Maranhão”. 

                               Também em casa, foram grandes as lições aprendidas com mestre Orlando que, ao lado de minha amada e incansável mãe Maria da Conceição Leite, sua companheira por mais de 50 (cinquenta) anos, não mediu esforços para ensinar a seus filhos, pelo exemplo diário, a importância de valores como ética, honradez, probidade e base educacional. Gostava de repetir: “Estudem. Leiam. Quem não lê não escreve e quem não escreve não vai vencer na vida!”.

 

Esse, certamente, o maior legado deixado a todos os filhos, e que vem sendo transmitido às novas gerações da família. Quando a base é sólida, os valores não esmorecem, permanecendo vivos nos corações de cada um de seus filhos, netos e bisnetos que, num misto de orgulho e saudade, celebram o seu centenário de nascimento em 2013.

 

Espero que do Grupo Escolar Dr. Orlando Leite, com 56 alunos, estudantes possam formar muitos futuros Orlando Leite, para orgulho do Brejo, terra que tanto amou e que jamais esqueceu na sua vida política, literária e do magistério e que, portanto, do povoado Acampamento, outrora, ponto de passagem de estradeiros que ali acampavam, passe agora a ser um Acampamento de ideias, de estudos, um Centro Cultural da Cidade de Brejo. 

Atenciosamente,

 

Prof. Doutor José Márcio Soares Leite

Médico CRM/MA nº 581.

 

Dra. Maria Zélia Leite Oliveira

Advogada OAB/MA nº 762.

 

4 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias