Domingo, 09 de Agosto de 2020
Dúvidas pelo seguinte e-mail
Galeria de fotos 1 foto

Edomir Martins de Oliveira, "Um poste no Meio do Caminho"

14/07/2020 13h00
150
Por: Mhario Lincoln

Capítulo 17

 

Acidente atrasou a noiva.

Do Livro: "Finalmente a Noiva Chegou"

Edomir Martins de Oliveira

Vice-Presidente Nacional da APB

 UM POSTE NO MEIO DO CAMINHO

 

 

 

        Eufórico ficou aquele casal quando recebeu convite dos noivos para serem padrinhos do seu casamento. Receberam a visita deles com seus pais, em um belo final de tarde, tendo aceito com alegria.

 

       Os noivos, ambos, eram filhos de Ministros Evangélicos. Deles alicerçaram os conhecimentos para uma vida feliz. E assim enfrentaram as dificuldades do diuturno vendo os exemplos maternos e paternos, em plantar flores para embelezar os caminhos das dificuldades, tendo Jesus Cristo por guia.

 

Pais de fino trato para com os irmãos na fé, eram sempre portadores de belas mensagens sacerdotais, que levavam edificação e esperança para os fiéis. Os filhos de formação religiosa, bem orientados nos caminhos do Senhor, herdaram dos pais os dons de cativar pessoas, além de serem fieis servos de Deus.

 

Quando viram no convite grafado a hora do casamento para 18h00, chegaram a imaginar que finalmente iriam compartilhar de uma solenidade matrimonial em que a noiva chegaria na hora aprazada.

 Mas, por absoluto fato alheio à vontade dos noivos e do Cerimonial, aconteceu um acidente, com uma violenta batida de carro, em um poste de iluminação pública, bem ao lado do local escolhido para o casamento e recepção.

 

       O referido acidente foi ocasionado por dois jovens, altamente alcoolizados, que disputavam irresponsavelmente a chegada ao final de uma avenida. Resultado: bateram os carros, e um deles foi jogado com violência contra um poste com transformador de iluminação pública, que veio a cair, causando danos elétricos na rede de distribuição.

 

       O Cerimonial teve que cientificar ao Ministro Celebrante, aos Ministros pais dos noivos, e aos convidados que a rede elétrica fora danificada em razão de um acidente e que a cerimônia teria que sofrer um atraso de pelo menos 3 a 4 horas, no dizer da equipe técnica. Com o ocorrido, a companhia responsável teria que trocar o poste para que a corrente elétrica fosse restabelecida.

 

       Os pais dos noivos pediram desculpas aos convidados e a compreensão do porquê do atraso, passando muitos a criticar a equipe técnica pela lentidão na execução dos serviços de energia elétrica, e outros entendendo que, sendo um poste que continha um transformador, seria entendível a demora. Mas todos esses faziam parte de um só grupo, o dos assustados por terem que esperar de 3 a 4 horas pelo início da solenidade, quando foram comunicados do inacreditável fato.

 

       O tempo estimado para regularização da situação pela Distribuidora de Energia foi cumprido em 3h, para alegria de todos, pois o espaço estava iluminado com velas, vez que no local do evento não havia gerador de luz.

 

       O cabelereiro e o maquiador também atrasaram na execução dos seus serviços profissionais para com a noiva, pois diziam ter uma clientela grande e que a despeito dos horários marcados, sempre inventavam um serviço a mais, além do combinado na agenda.

 

 A noiva, em consequência, iria chegar atrasada à cerimônia. Felizmente, chegou ao tempo em que a luz era restabelecida, o que não configurou a sensação de que se atrasara. Daí os convidados não crucificarem a noiva pela demora.

 

Com a energia elétrica restabelecida, a noiva adentrou ao salão reservado para celebração do ato do matrimônio, acompanhada do seu pai, que a entregou ao noivo o qual estava radiante ao vê-la tão bela e feliz. Vale destacar a altivez da noiva, que mesmo diante dos fatos alheios à sua vontade, não se abateu e entrou no salão com muita alegria, sorriso nos lábios e serenidade, que transmitiu alegria a todos.

 

 A cerimônia foi iniciada ao acompanhamento de um teclado e um violino afinados em perfeita harmonia, que tocavam músicas próprias para a ocasião, caprichosamente escolhidas pelos noivos, e que contagiavam todos os presentes, desanuviando as tensões e impaciência das três horas de espera.

 

       O Sacerdote Celebrante, lembrou na sua pregação, que o santo laço de união de um casal é para ser respeitado, concluindo que tivessem em mente sempre as recomendações bíblicas: “não separem os homens aqueles que Deus uniu”. Concluiu lembrando ao noivo que a ele estava sendo entregue uma joia de fino valor e que ao recebê-la tivesse o cuidado de zelar por ela.

 

       Lembrou também o pai da noiva, ao noivo, que estava recebendo uma joia preciosa e zelasse por ela, mantendo-a sempre feliz e não perdesse de vista o contido na Primeira Epístola do Apóstolo Pedro (3:7) “Maridos, vós, igualmente, vivei a vida comum do lar, com discernimento; e, tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil, tratai-a com dignidade, porque sois, juntamente, herdeiros da mesma graça de vida, para que não se interrompam as vossas orações”.

 

       Feitas as prédicas religiosas, ao ser perguntado pelo Celebrante ao casal se era de sua livre e espontânea vontade, nos termos da Lei, desposarem-se, veio o célebre SIM, dando-se por concluída a cerimônia, tendo o ato religioso sido celebrado com efeitos civis, para alegria dos noivos.

 

       O Cerimonial, em seguida, incumbiu-se da recepção aos convidados, ocasião em que serviram um belíssimo bufê, com finos salgadinhos, jantar, doces e o tradicional bolo de noiva, acompanhados de sucos de variadas frutas e refrigerantes.

 

       Com mais esse atraso de três horas de espera em um casamento, os convidados pensaram que seria uma grande contribuição às futuras noivas se alguém lhes informasse que seria necessário que elas agendassem um horário exclusivo para maquiagem e cabelereiro, com uma folgada hora e com salões que cumprissem o horário rigorosamente combinado, porque esse é sempre o principal portão de angústia das noivas que pretendem ser pontuais, mas quase nunca o são.

 

E por fim, frente a peculiaridade com que se depararam na demora,   procurassem um local com gerador de energia para realizar o casamento/recepção e sempre consultassem aplicativos de trânsito para evitar vias congestionadas.

 

13 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias